terça-feira, 23 de abril de 2013


Não hei de fazê-lo a encosta de meus barrancos
Nem hei de torturá-lo com as lágrimas de outrosOu buscá-lo como vela ao anoitecer do sol, quando minh'alma assim o implorarpor perder-se sem luz
Antes serás meu Luarminhas estrelas complementares da noite escuraos olhos belos que me bucam quando nem eu me encontroo carinho único de Poesias faceis...o caminho gramado e cheio de zelos
Não o terei como o rio travesso que em meu caminho se interpõe...Antes serás o mar distante que buscarei para repousoonde meu pensar será suavee meu corpo será versado em cores, e cheiros, e gostosque só teu paladar degustará
Não te prometerei a eternidade, posto que esta nem a mim pertencemas te prometerei todos os meus momentosos meus encantosos olhares verdejantes que se põe em prantos de uma separação inóspita de ti
tens minh'alma...ainda que inconstante, tua!não te bastaria ter a mim assim?!

Sem comentários:

Enviar um comentário